Agência Tellus

Estudioteca

DESAFIO:
A forma como as escolas estão estruturadas (o velho padrão mesa e lousa) não se conecta com os estudantes atuais, nativos digitais, pouco os apoia no desenvolvimento para a vida em um século de grandes complexidades. Não dá, por exemplo, para discutirmos fake news, responsabilidade nas redes sociais e outras temas nativos do âmbito digital dentro de espaços tradicionais. Para dar conta deste desafio, é fundamental repensar a escola sobre diversos aspectos. É importante que professores estejam preparados para reinventar a sua prática, partindo da perspectiva que ele não é mais o detentor de conhecimento, mas um facilitador do processo de aprendizagem. Nesse contexto, nasce o projeto Estudioteca, com o desafio de impactar de forma positiva a aprendizagem dos alunos a partir do uso da tecnologia na escola e propor melhorias nos serviços de educação da cidade de Santos.
SOLUÇÃO:
A proposta da Estudioteca é que seja um local em que se desenvolva a empatia, comunicação, resolução de problemas, criatividade, autonomia e fluência digital. Um espaço flexível que permite realizar novas experiências de aprendizagem, disposições de grupo e utilizar tecnologias para a realização de atividades. Pensando na criação de uma política pública de pacificação restaurativa com o foco na Cultura de Paz e do Diálogo, a Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Educação, promulgou pelo Decreto no 6.935 e pela Portaria nº 173/2013 de 17 de outubro de 2014, instituiu e nomeou uma Comissão de Gestão para a implementação e acompanhamento do Programa Justiça Restaurativa, pretendendo-se tornar uma Cidade Educadora-Restaurativa.

Contexto

Em 2014, foi implementada na cidade de Santos uma política pública de pacificação restaurativa com o foco na Cultura de Paz e do Diálogo, realizada através da Secretaria de Educação. Para tal, foi nomeada uma Comissão de Gestão para a implementação e acompanhamento do Programa Justiça Restaurativa.

O programa foi iniciado em nove escolas-piloto, escolhidas a partir de critérios como maior número de alunos e diversidade de modalidades de atendimento. São elas: UME Ayrton Senna, UME Cidade de Santos, UME Florestan Fernandes, UME Leonardo Nunes, UME Lourdes Ortiz, UME José Carlos de Azevedo, UME Pedro Crescenti, UME Pedro II, UME Vinte e Oito de Fevereiro.

Diante desse cenário, surgiu a oportunidade de implementação desse projeto com objetivo de potencializar a aprendizagem a partir da criação de um espaço que desenvolva as competências do século XXI e promova novas oportunidades de experimentação dos recursos digitais.

O principal impacto (do projeto) é levar para essas 9 escolas públicas de Santos um ambiente flexível que permita, com o auxílio da tecnologia, repensar o espaço e a experiência de ensino. A Estudioteca reforça aos professores a importância do papel de facilitadores do processo de aprendizagem e traz aos alunos a conectividade do cotidiano e ainda a possibilidade de se expressar de forma criativa na produção de conteúdos

– Aline D’Unhão, consultora do projeto

Implementação

A implementação contou com a análise dos locais, elaboração de projeto arquitetônico – feito em parceria com o Auá Arquitetos – , obras e pequenas reformas nos espaços, aquisição e patrimonialização de equipamentos, montagem e vistoria do espaço, acompanhamento da implementação a fim de destravar os desafios encontrados ao longo dessa fase, articulação e comunicação com os envolvidos, apoio na definição de equipe e responsáveis pelos espaços, capacitações em gestão e liderança para representantes do equipamento público, uso dos espaços, comunicação não-violenta e uso de equipamentos, apoio ao soft opening dos espaços, desenvolvimento de materiais gráficos, para, finalmente, apoio ao lançamento do espaço e formalização da entrega ao município.

“Um grande desafio foi estruturar e articular os papéis e responsabilidades de cada interlocutor ao longo do projeto, pois o desenvolvimento exige organização e é tão importante quanto o resultado alcançado. O acompanhamento por parte do Município, do parceiro técnico e do financiador do projeto em todas as fases, mais em especial na implementação, é fundamental para destravar todos os obstáculos encontrados”

– Aline D’Unhão, consultora do projeto

Leia mais

Parceiros, Beneficiários e Clientes

  • BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
  • Prefeitura de Santos - Sec. Saúde, Assistência Social, Educação, Mobilidade Urbana
  • VLI Logistica