O consumo nocivo de álcool vem crescendo no Brasil e no mundo onde os desafios exigem uma nova abordagem para prevenir e gerenciar uma série de prejuízos e doenças. Frente a este desafio, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma meta ambiciosa dentro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: o compromisso de reduzir em 10% o consumo nocivo de álcool até 2025 – um plano que contempla os anseios da ONU e da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável.

 

Brasília Vida Segura

Neste contexto, a AB InBev– empresa multinacional formada pela Interbrew e Ambev – criou em 2015 sua fundação, AB Inbev Foundation, com o propósito de reduzir o consumo nocivo de álcool em seis cidades do mundo até o ano de 2020. Para tal, a organização desenvolveu o projeto Brasília Vida Segura, viabilizado por meio de uma cooperação público-privada com o Governo do Distrito Federal para atingir esta meta no Brasil. Brasília foi escolhida como a cidade piloto para implementação do projeto no território brasileiro, dado o alto percentual de adultos que consomem álcool de forma nociva no Distrito Federal, com 25,7% dentre todas as capitais brasileiras (VIGITEL 2018). 

O modelo de parceria do programa Brasília Vida Segura tem o objetivo de desenvolver soluções permanentes e políticas públicas sustentáveis, e para isso possui uma estrutura de governança colaborativa, em que se somam a experiência e protagonismo do governo na execução da política pública, o potencial de inovação e design de serviços públicos do Grupo Tellus, o conhecimento em gestão da Falconi e o referencial teórico do Conselho Consultivo do Programa – que conta com membros do governo e estudiosos do tema no Brasil. Sua coordenação é feita pelo líder do Conselho Consultivo, Professor da Universidade de São Paulo, Leandro Piquet, e pelo Grupo Tellus no sentido de convergir esforços dessa rede de parceiros públicos, privados e sociais para gerar impacto positivo na vida dos cidadãos por meio de inovações nas políticas públicas. 

No Brasil, o programa tem foco nas regiões administrativas de Brasília: Ceilândia e Taguatinga, trabalhando ações voltadas para a  segurança viária, saúde, juventude e prevenção à violência. Neste artigo, iremos nos aprofundar nas ações de prevenção da saúde do programa. 

 

Prevenção do consumo nocivo de álcool no âmbito de serviços públicos da saúde

Buscando adequar as fontes de conhecimento e propostas da Organização Mundial de Saúde para a realidade do Distrito Federal no tema, a proposta do Programa Brasília Vida Segura, no âmbito dos serviços públicos de saúde, foi estruturada com foco em prevenção, a fim de evitar que os problemas e consequências do uso nocivo de álcool se tornem ainda mais críticos.

“O programa Brasília Vida Segura, no pilar de Saúde, trabalha a sensibilização dos profissionais da atenção primária para o acolhimento de questões relacionadas à saúde mental e dependência de substâncias como um todo. No contexto do uso de álcool, os profissionais são capacitados para trabalhar a prevenção ao uso nocivo do álcool, além de levar informações sobre como prevenir o uso nocivo para pessoas que desconhecem ou não têm acesso aos serviços da rede pública de saúde que atendem às demandas”. Destaca Priscila Estrela, Gerente da Gerência de Serviços em Saúde Mental da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

Nesse sentido, desenvolveu-se junto à Diretoria de Serviços de Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde (DISAM), um fluxo de trabalho para operacionalização do método de prevenção recomendado pela OMS, a TIB – Triagem e Intervenção Breve. Este Método foi criado pela Organização Mundial da Saúde com o objetivo de criar uma base científica para que triagens e intervenções breves fossem aplicadas ao sistema primário de saúde globalmente. 

O programa foi inicialmente implementado pelo Centro de Liderança Pública (CLP) com apoio da Consultoria Falconi na rotina das equipes da Estratégia de Saúde da Família na Atenção Primária à Saúde da cidade de Ceilândia em 2017, realizado pelos profissionais das equipes de Saúde da Família (eSF) junto à população local.

 

A abordagem do Design Thinking na implementação do projeto

No ano de 2019, a Secretaria de Saúde do DF, em conjunto com o Grupo Tellus, buscaram fazer um diagnóstico por meio de metodologia de design thinking a fim de  entender os principais problemas enfrentados na aplicação da TIB (Triagem e Intervenção Breve) e encontrar formas de aprimorar o trabalho de prevenção ao uso nocivo de álcool. A metodologia de Design Thinking tem como base três princípios: 

  • Empatia: Entendimento empático e exploração do contexto do cidadão e dos servidores.
  • Co-criação: Construir “com” e não “para” a sociedade civil.
  • Experimentação: Testar para aprender errando de forma rápida e barata.

Com a imersão nos métodos de Design Thinking e Inovação, foram estabelecidas uma série de ações conforme o diagnóstico e cocriação de soluções junto aos profissionais que atuaram no programa nos anos de 2017 e 2018. A partir do processo de cocriação, novos mecanismos de implementação foram adotados durante a realização de treinamento, aplicações da TIB e monitoramento de aplicações da TIB. As novas iniciativas e instrumentos foram adotadas para a fase de implementação do projeto, tanto na realização dos treinamentos nas 17 Unidades Básicas de Saúde existentes em Ceilândia, bem como no monitoramento das aplicações do método TIB de triagens e intervenções pelos profissionais de saúde.

 

Instrumentos de fortalecimento das ações de saúde

Cabe destacar algumas iniciativas que foram priorizadas e estão sendo prototipadas com o objetivo de impactar positivamente a formação dos profissionais, a qualidade das intervenções e o engajamento para alcance de escalas maiores de aplicação.

Painel de monitoramento de aplicações de Triagem e Intervenção Breve (TIB) 

O Grupo Tellus criou um painel online de monitoramento que concentra as informações relacionadas à performance e impacto das Triagens e Intervenções Breves. Os servidores e gestores públicos da saúde alimentam as informações do painel de monitoramento, que são analisadas pela coordenação do programa. Desta forma, é possível visualizar os dados referentes às capacitações de profissionais nas UBSs em tempo real, permitindo qualificar a evolução da implementação do programa Brasília Vida Segura e identificar onde o trabalho de prevenção precisa de maior suporte. 

Materiais de Apoio 

Como responsável por organizar os treinamentos dos profissionais da saúde, o Grupo Tellus desenvolveu materiais de apoio inovadores para os treinamentos e para a realização dos protocolos de triagens e intervenções, que servem como instrumentos complementares para que os profissionais de saúde trabalhem a prevenção do consumo nocivo de álcool. 

Demonstrativo de doses

Para suprir uma dificuldade de entendimento da quantidade de doses de álcool em cada tipo de bebida, foram identificadas as bebidas mais consumidas localmente e calculadas a quantidade de doses contidas em cada embalagem. A partir desta informação, é possível trazer clareza à percepção de quantidade de álcool consumida pelos cidadãos e facilitar o trabalho dos profissionais durante as aplicações da triagem e intervenções breves.

Roleta de intervenções

Também com foco na instrumentalização do profissional da saúde que aplica as triagens e intervenções breves, foi desenvolvida uma roleta, que, de acordo com a zona de risco do paciente, apresenta um passo a passo sucinto e objetivo para a realização de uma intervenção efetiva. 

Jogo de intervenções

Foi desenvolvido um jogo para utilização na formação e reciclagens de conteúdo dos profissionais as aplicações das intervenções. O jogo é composto por 3 elementos principais: Personas, cards com exemplos de intervenções e orientações em saúde; questões com situações difíceis que ocorrem no dia a dia, como por exemplo o paciente se recusar a responder; e as possíveis formas de tratar essas situações.

Além de evitar o consumo nocivo de álcool, as ações de saúde do programa Brasília Vida Segura visam deixar um legado para Ceilândia e Taguatinga, institucionalizando o programa como política pública para o Governo do Distrito Federal, bem como a adoção do Método de TIB (Triagem e Intervenção Breve) como instrumento de prevenção para impactar positivamente a qualidade de vida dos cidadãos.