Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão

Como podemos construir e equipar uma sala de capacitação profissional para cidadãos em situação de vulnerabilidade social? O texto abaixo contará detalhes sobre o projeto Corte & Costura – Fábrica da Comunidade e faz parte da série de estudos de caso que temos publicado nos últimos meses. O Programa Fábrica da Comunidade esteve, durante os anos de 1985 a 2016, entre as atividades desenvolvidas pela DICES (Divisão de Capacitação e Educação Social) da prefeitura de Cubatão e seu objetivo era realizar a capacitação e qualificação dos munícipes em situação de alta ou muito alta vulnerabilidade social, visando sua inserção no universo do trabalho.

O programa representava a possibilidade de mudança, uma vez que atendia grande quantidade de pessoas vindas de serviços sociais como o PAIF (Programa de Atenção Integral às Famílias), realizado nos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). Dentre os cursos existentes estavam: Eletricista, Auxiliar Logística, Gestão Portuária, Mecânica, Inglês Básico, Manicure e Pedicure, Maquiagem e Sobrancelha, Patchwork, Curso de Crochê, Inclusão Digital, Corte e Costura, dentre outros. Referência na região metropolitana da Baixada Santista, o programa recebia alunos de nove cidades vizinhas e muitos dos estágios obrigatórios eram realizados nas empresas da região. Além disso, a Fábrica da Comunidade tinha grande importância em aspectos relacionados à socialização dos munícipes. Entre 2008 e 2016, o programa foi gerenciado pela ADESAF (Associação de Desenvolvimento Econômico e Social às Famílias) e, em função da fragilidade financeira da Prefeitura de Cubatão, teve suas atividades encerradas em maio de 2016.

Desafio Inicial e Diagnóstico

Com o objetivo de resgatar parte do projeto, o Grupo Tellus foi chamado como parceiro técnico em parceria com a Prefeitura de Cubatão e a empresa VLI (Vale Logística Integrada) para mapear o seguinte desafio: Como podemos construir e equipar uma sala de capacitação profissional em corte e costura, que atenda necessidades, garanta acolhimento e aprendizagem de forma a desenvolver a geração de trabalho e renda para os munícipes em situação de vulnerabilidade social de Cubatão?

Para construir um diagnóstico, o Grupo Tellus produziu entrevistas com especialistas, professores, gestores e ex-alunos da Fábrica da Comunidade. Além disso, foram construídos um mapa de atores do projeto e benchmark dos cursos de corte e costura de outros Municípios, além de visitas aos possíveis espaços de implementação. Com isso, foram identificados alguns desafios e oportunidades:

  • A reativação do curso de corte e costura precisa acontecer em paralelo com uma preparação do mercado para absorver os alunos formados e/ou a produção;
  • Como podemos criar um curso que forme pessoas qualificadas e que se sintam seguras para atuar no mercado de trabalho?;
  • Mesmo com problemas de estrutura física e falta de equipamentos, de modo geral, o curso e os professores são elogiados por ex-alunos;
  • Como criar um espaço de aprendizagem com infraestrutura e equipamentos adequados e que atenda as necessidades dos alunos?
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão

Exploração: Identificando públicos e redefinindo o desafio

Durante as fases de entendimento e análise, identificamos quatro diferentes perfis de alunos: assalariado, empreendedor (que querem gerar renda), aposentado e estudante (que querem aprender algo novo). Com este novo cenário, foi necessário redefinir o desafio, transformando-o em: “Como podemos criar um curso de corte e costura para preparar e capacitar profissionais, conforme as necessidades de desenvolvimento social da cidadã.

Co-Criação: Desenvolvendo o espaço e o novo curso

Na fase de co-criação, após a escolha do espaço, o escritório de arquitetura AUÁ desenvolveu o projeto-conceito que, após a aprovação, foi executado, dando início à readequação da sala. Todos os documentos tiveram aprovação dos parceiros e do Município, via Secretaria de Assistência Social e Secretaria de Obras.

O resultado foi a reforma de 3 espaços – dois deles são dedicados às aulas teóricas e práticas, e o terceiro para gestão e almoxarifado (veja abaixo). Também foram feitas as capacitações em comunicação não violenta, gestão e liderança, atendimento ao cidadão e uso dos equipamentos, além de serem adquiridos mais de cem equipamentos como: máquinas industriais de costura, mesa de corte, entre outros, e novos mobiliários para garantir melhor acolhimento, aprendizagem e qualidade tanto no ensino quanto na experiência dos alunos.

Ao Diário do Litoral, Leopoldo José Gimenes, gerente geral do TIPLAM (Terminal Integrador Portuário Luiz Antônio Mesquita – ativo da VLI), afirmou que “para a empresa, é uma felicidade imensa poder contribuir com um projeto tão importante para Cubatão. Isso também faz parte de um compromisso da empresa de colaborar com o desenvolvimento econômico e social das regiões em que o Tiplam está inserido”.

Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão
Corte & Costura - Fábrica da Comunidade: Capacitação profissional em Cubatão

Leia também:

  • Agência Tellus desenvolve soluções digitais para UBS de Cotia – Acesse aqui
  • Estudioteca: Uma cocriação pensando na educação do futuro – Acesse aqui